5 PASSOS FÁCEIS PARA SE TORNAR UM FASHIONISTA RESPONSÁVEL

Postado em 15 February 2017

FASHIONISTA RESPONSÁVEL

"Como posso melhorar meus hábitos de consumo?"
"Quando posso me considerar um fashionista responsável?"
 

"Eu não sou uma má pessoa e quero ter certeza de que estou me vestindo ‘certo’. O que devo fazer para garantir que a forma como me visto não afete os outros negativamente?"

Estes são alguns exemplos dos tipos de perguntas que eu tenho recebido nos últimos meses. Decidi responder a elas com 5 passos simples que qualquer um poderia seguir para se tornar um fashionista responsável. Tenha em mente que você pode (mas não precisa) mudar da noite pro dia. Ao pensar nestes 5 passos, você vai gradualmente começar a integrá-los em seus hábitos diários. 

Meu conselho: escreva os 5 passos em um pedaço de papel e coloque-o em algum lugar sempre visível (em sua carteira, armário, espelho...). Mudar será mais fácil do que você pensa ;-)

Transformando-se em um fashionista responsável:

1. OTIMIZE O SEU GUARDA-ROUPA

Não usar 80% das suas roupas e sentir amor e carinho apenas por algumas peças não faz sentido algum, além de ocupar um espaço valioso (principalmente quando se vive em cidades grandes), as roupas ficam amassadas e perde-se tempo demais decidindo o que usar (é bem provável que você prove um milhão de combinações até decidir depois de uma hora que vai usar as roupas ‘de sempre’).

A sensação de insatisfação frente a um mundo de opções que vive nos nossos guarda-roupas é motivo de ansiedade e de idas irracionais e desnecessárias ao shopping.

Organize o seu armário e reduza o número de roupas que você possui (faça isso de forma inteligente para ficar apenas com peças intercambiáveis que você ama vestir e que combinam umas com as outras). Tenha certeza que você curte todas as suas roupas, mas quando este sentimento não for mais válido, encontre o lugar certo para cada peça (revenda, doe ou recicle).

Sugiro o best seller da Marie Kondo, “A magia da arrumação”, para quem precisa de um passo-a-passo na organização do armário.

2. COMPRE MELHOR

Como mencionado pela Natalie Grillon do Project JUST nesta entrevista:

  • Compre vintage. Ao comprar vintage, você está reutilizando ao invés de usar novos recursos.
  • Compre qualidade. Peças de alta qualidade podem ter um preço mais elevado, mas irão lhe poupar tempo e dinheiro no longo prazo, uma vez que irão durar mais tempo. Evite comprar fast fashion, sempre que possível.
  • Compre de forma consciente. Conheça as marcas e saiba de onde suas roupas vêm. A compra em lojas ou plataformas que vendem moda sustentável também irá ajudá-lo(a) a se tornar um consumidor mais consciente.

3. FAÇA AS PERGUNTAS CERTAS

Pare e reflita antes de comprar uma nova peça de roupa, não compre por impulso. Pergunte-se:

Vou usar pelo menos 30 vezes? É atemporal? Qual é a durabilidade da peça? Qual é a sua versatilidade? Vou enjoar dessa cor ou estampa? A peça foi feita de forma sustentável? Por quem? Ela me ajuda a dizer quem eu sou?

4. LAVE DE FORMA INTELIGENTE

Até dois terços da pegada de carbono de roupas é gerada depois que você compra um item. Portanto, não podemos culpar apenas a indústria da moda quando reclamamos sobre seus impactos negativos; também cabe a nós cuidarmos bem de nossas roupas:

  • Apenas lave quando necessário: faça com que suas roupas durem mais, economize água e detergente
  • Evite usar a secadora: economize energia e evite várias emissões de gases do efeito estufa
  • Selecione a opção ‘agua fria’ na sua máquina de lavar: economize energia, reduza emissões de CO2 e, novamente, faça com que suas roupas durem mais, dado que o calor fragiliza o tecido
  • Jeans: não é um mito, você pode colocar suas calças jeans em um saco e deixá-lo no congelador por 1-2 dias. Isso vai matar as bactérias e seu jeans ficará limpinho!

5. DOE, RECICLE, REVENDA

Não jogue fora as roupas que você não quer mais usar. Em vez disso, faça o seu melhor para doá-las, reciclá-las ou revendê-las.

Doe: há muitas organizações que coletam roupas para doação, procure uma em sua cidade. Alternativamente, você pode sempre doar para a família, amigos, amigos de amigos e assim por diante.

Recicle: até mesmo uma calcinha antiga pode ser reciclada e transformada em novos itens. Você também pode ser criativo(a) e ‘upcycle’ (dar um novo status) as suas próprias roupas: por exemplo, uma camisa velha pode ser transformada em uma saia casual (veja como)!

Revenda: outra ótima opção caso as suas roupas estejam em boas condições. Venda suas peças em brechós ou marketplaces para roupas usadas, tais como o Enjoei no Brasil e o Tradesy nos EUA.

POR: CAROLINA PERLINGIERE 

CRÉDITO DA FOTO: LILIAN LIU, ALEXANDER WANG

Mais posts

0 comentários

Deixe um comentário

Todos os comentários do blog são verificados antes da publicação

Faça um favor ao seu guarda roupa e ao mundo.

Inscreva-se na nossa newsletter e ganhe 10% de desconto em seu primeiro pedido!

Pesquisar na nossa loja